(Foto: Reprodução Internet)

Separamos 10 dicas de hábitos sustentáveis para você seguir no seu dia a dia. São atitudes simples, mas que fazem toda diferença para o Planeta.

1) Evite desperdícios de água e alimentos. Cozinhar apenas o necessário colabora com o Meio Ambiente, pois não haverá necessidade de jogar as “sobras”. Quanto à água, evite comprar garrafas se você possui tratamento de esgoto em casa. Assim, você economiza dinheiro e recursos minerais.

2) Dê preferência para produtos que utilizam baterias ou pilhas recarregáveis. O consumo desenfreado de pilhas não reutilizáveis acarreta em um grande impacto ambiental, pois possuem perigosos elementos químicos. Prefira materiais que possam ser recarregados.

3) Aproveite a luz do Sol. Dependendo da disposição da sua casa, é possível utilizar a luz do sol até o comecinho da noite. Evite ligar a lâmpada no meio da tarde, por exemplo. Além disso, troque as lâmpadas normais por lâmpadas de baixo consumo, pois gastam menos energia e duram mais.

4) Utilize sacos de compra reutilizáveis. Aqueles saquinhos de supermercado demoram cerca de 35 anos para se decomporem. Não maltrate a mãe natureza, utilize sacolas de pano para evitar o uso abusivo do plástico.

5) Prefira embalagens ecológicas. Se for para usar garrafas, que sejam recicláveis e compostas por material vegetal. A decomposição é muito mais rápida e evita a degradação da natureza para produzir o material.

6) Use mais os pés (ou as bicicletas). Utilize mais o transporte público, a bicicleta ou até mesmo seus pés. Ande mais! Se você andar mais a pé, além de colaborar com o planeta, ainda fará bem para a sua saúde.

7) Não desperdice papel. Derrubar árvores é um atentado contra a natureza. Que tal utilizar ou fazer seu próprio papel reciclado? Não custa nada além do seu tempo. Aproveite também para economizar nas impressões.

8) Separe o lixo. Talvez esta seja uma das dicas mais simples, porém poucos fazem. Ao invés de separar detalhadamente o papel do plástico, do vidro e do alumínio, comece pelo mais simples: separe lixo reciclado do lixo orgânico. Pronto! Já ajuda (E MUITO) nosso ambiente.

9) Cultive áreas verdes. Além de ser uma terapia, pois descansa a mente, você ainda colabora para a preservação da natureza. Quanto mais verde, melhor.

10) Evite transporte individual. Quanto mais carros circularem pelas ruas do mundo, mais gás carbônico despejamos na atmosfera. Dê carona ao seu vizinho ou amigo de trabalho ou vá de carona. Além disso, você pode utilizar o transporte público.

Você já pratica algumas dessas dicas? Tem mais alguma importante para nos contar? Compartilhe!

Fonte: Onduline Brasil


(Foto: Reprodução Internet)

Quando a onda de calor chega e fica impossível ficar do lado de fora, o jeito é se refugiar em casa nas horas mais quentes. Mas há dicas bastante simples para deixar a casa ou o apartamento ainda mais fresquinho. Claro, a solução mais prática é comprar um ar condicionado, mas até mesmo na hora da instalação do aparelho é preciso de alguns cuidados. Conversamos com o arquiteto Beto Gebara que deixou algumas soluções para aliviar o calor. Confira!

Ar condicionado
Atenção na hora da instalação para colocar a caixa condensadora (parte que fica do lado externo) em uma parede protegida da incidência solar e evitar que o aparelho trabalhe constantemente. Se não for possível, proteja com uma capa de alumínio.

Ventilação Cruzada
A dica mais prática! Observe de onde vem o vento e busque abrir uma porta ou janela deste lado para o a brisa entrar e outra no lado oposto para o ar cruzar por toda a residência. “Não adianta abrir a janela e ficar esperando refrescar, tem que deixar as outras portas e janelas abertas também para o ar circular”.

Película reflexiva
Colocar um película nas janelas que recebem muito sol. Ao reduzir a luminosidade, também reduz a incidência de calor. Gebara lembra que há películas espelhadas e discretas no mercado.

Persianas e cortinas
Além de ajudar na estética, desde que escolhidas com bom gosto, ajudam a aliviar o calor. “Mas cuidado para não fechar com persiana a janela que está entrando a corrente de ar”, lembra Gebara.

Varandas
As varandas ajudam a reduzir o calor dos cômodos mais próximos. Um jeito mais prático para se “construir” uma varanda é instalar um toldo nesta face da casa que recebe muito sol.

Revestimento
Revestir internamente (ou externamente se possível) as fachadas que recebem mais sol. Construir um parede de tijolos à vista, por exemplo, pode dar um clima diferente tanto no aspecto estético quando na temperatura do cômodo. Paredes mais grossas isolam melhor a temperatura externa, e se houver um pequeno espaço de ar (1 cm) entre as duas paredes o isolamento funciona ainda melhor.

Antes de construir:
— Cuide para colocar a frente do imóvel com face Norte ou Nordeste, que recebem sol, mas não de forma direta como Oeste. Face Sul recebe pouco sol.
— Telhas claras também absorvem pouco calor e ajudam a manter a temperatura menor.
— Piso de porcelanato claro também colabora para a temperatura ficar mais baixa.
— Jardins no terraço colaboram para a redução do calor.

 

Texto: Diário Catarinense


(Foto: Reprodução Internet)

Nem sempre é preciso ter um ar-condicionado para conseguir frescor nos ambientes da casa. Alternativas simples como acertar na posição das janelas, ter paredes com elementos vazados ou ainda usar revestimentos frios nos pisos são exemplos de como ter bons resultados neste assunto. Quer conhecer outras saídas e deixar a casa mais arejada? Veja abaixo 20 dicas:

1. Na hora de fechar o projeto, avalie bem o posicionamento de janelas e portas de acordo com a orientação solar, de forma que haja boa circulação natural;

2. Persianas ajudam a manter o ambiente claro e arejado;

3. Abuse de cobogós e elementos vazados que deixam que o ar circule melhor pelos ambientes;

4. ‘Utilizar materiais frios, como pedras, cerâmicas e porcelanatos também contribuem para a diminuição da temperatura do ambiente’, sugere a arquiteta Nathália Otoni;

5. Se está construindo ou reformando, pense na possibilidade de fazer um ‘telhado verde’, com gramas que retêm parte do calor que seria transferido para o interior do projeto;

6. Projete janelas com peitoril mais baixo que o convencional. ‘Ambientes mais claros e iluminados são mais frescos”, indica a arquiteta Adriana Bijarra Cuoco;

7. Priorize as lâmpadas do tipo LED, que geram menos calor;

8. ‘Utilize iluminação indireta, como arandelas, para diminuir a intensidade de luz’, indica o arquiteto Giuseppe Cafasso;

9. Use telas do tipo ‘mosqueteira’ nas janelas para conseguir deixá-las abertas de madrugada, para entrar o frescor da noite;

10. Faça um jardim interno com vasos de barro e plantas naturais maiores;

11. Use e abuse de plantas e flores dentro de casa: podem ser nas laterais do aparador, na mesinha de centro, em uma parede. ‘Uma boa indicação é a pacová’, diz Adriana Cuoco;

12. Use também uma pequena fonte de água em uma mesinha lateral, por exemplo, para remeter a um ambiente mais fresco;

13. Diminua a quantidade de móveis nos ambientes, para que ventile melhor;

14. Retire de salas e quartos tapetes peludos e de cores escuras, trocando-os por esteiras de tatame, por exemplo;

15. Evite sofás em tecidos como chenille ou veludo, que são mais pesados e quentes;

16. Dê preferência a tecidos naturais, como linho e algodão, que são mais leves, para sofás, almofadas e estofamento de cadeiras;

17. Cortinas claras ajudam no controle da incidência solar no ambiente;

18. Outra opção são as cortinas de telas solares, feitas em fibra de vidro com PVC, que protegem do calor e ainda podem ser translúcidas;

19. Preferencialmente, use cores frias ou em tons pastel na pintura das paredes e nos acessórios, pois transmitem mais refrescância;

20. Almofadas e artigos decorativos de renda, com estampas florais ou de paisagens remetem à sensação de frescor. Pode usar sem medo.

 

Texto: Delas Ig


(Foto: Reprodução Internet)

Desenhadas sob medida ou compradas prontas, portas e janelas têm contornos capazes de marcar um projeto. Clique em cada uma das 9 perguntas a seguir para ver as respostas, que dão as dicas para uma boa escolha.

O que observar na hora da compra?

Independentemente do material, verifique se o produto tem certificação, selo do Inmetro ou outra garantia de que atende às normas técnicas nacionais. Cheque sua qualificação no Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat, do Ministério das Cidades, ou no Programa da Qualidade da Construção Habitacional do Estado de São Paulo, sugere o pesquisador do IPT. Selos ISSO 9000 e similares não garantem o desempenho da peça, apenas normatizam sua apresentação, suas dimensões e seu acabamento.

Faço sob medida ou compro prontas?

Depende do orçamento e da especificação do projeto. Para janelas, o arquiteto considera questões como a iluminação (natural e artificial) e a proporção entre as aberturas e a área do ambiente. Modelos de alumínio e de madeira sob medida ficam cerca de 15% mais caros se comparados às peças prontas, observa o arquiteto Rodrigo Angulo. Para as portas, vale a mesma relação de preço. Elas podem custar ainda mais se as dimensões saírem muito do padrão, explica Rodrigo.

Como calcular o vão de instalação?

De acordo com Luiz Sérgio Mendonça Coelho, da área de Engenharia Civil do Centro Universitário da FEI (UniFEI), de São Bernardo do Campo, SP, o vão deve ser maior que a peça 1 cm na altura e 2 cm na largura. Isso permite a movimentação correta das folhas e barra quase toda a entrada de luz e ar. Daí a importância de prever, no projeto, o tamanho exato de cada porta, cada janela e os respectivos vãos.

Qual o momento certo para instalar?

Na fase final da obra, cuidadosamente, após a pintura das paredes. Antes disso, portas e janelas devem ser armazenadas em local seco. Se precisar instalar antes, mantenha os caixilhos especialmente os de alumínio abrigados nas embalagens originais, geralmente chapas duras, para evitar o contato com argamassa, gesso e solventes. Você também pode protegê-los com papelão, plástico ou painéis de compensado.

Que cuidados tomar na instalação?

Contrate uma equipe especializada, que cumprirá a risca as orientações do fornecedor. Para alumínio e PVC, utiliza-se o contramarco, espécie de moldura com bom poder de vedação que deve ser chumbada na alvenaria para posterior parafusamento dos caixilhos. Peças de madeira podem ser instaladas com espuma de poliuretano. Apos injetado no caixilho, esse material se expande, trava a madeira e faz a vedação, explica o arquiteto Rodrigo Angulo.

Quais os benefícios do alumínio?

Leveza, fácil manuseio e manutenção simples, alem de boa resistência a maresia. A anodização, feita na fabricação, aumenta a proteção e a durabilidade do alumínio para as regiões litorâneas, destaca o professor Luiz Sergio Mendonça Coelho. O tratamento forma uma camada de oxido de alumínio, que protege contra corrosão, salinidade e fumaça industrial. E possível também realizar a pintura eletrostática a pó, um fino acabamento aplicado na fabricação que adere a todas as cavidades e re-entrâncias da superfície.

Quando devo optar pela madeira?

Em locais que exijam maior isolamento térmico. Mas ela pode sofrer muitas deformações durante uma instalação malfeita, diz o pesquisador do IPT, alertando sobre a necessidade da boa mão-de-obra. Para evitar o empenamento devido a ação dos raios solares e da umidade, trate o material com óleos impregnantes, que formam uma película protetora e mantêm sua beleza. Prefira modelos maciços, mais resistentes ao ataque de cupins e a ação do tempo, sugere o professor Luiz Coelho.

Quais as vantagens do PVC?

Durável e de fácil manutenção, proporciona ótimo isolamento acústico, alem de boa vedação, porque as juntas vem soldadas, sem emendas. Em qualquer situação, os produtos devem apresentar garantia contra deterioração e desbotamento causados pela exposição ao sol. Melhor instalar em áreas protegidas das intempéries.

Como é a manutenção de cada material?

Limpe com produtos neutros, segundo as recomendações do fabricante na embalagem ou no manual de usuário. Evite agentes abrasivos, como esponjas de dupla face e palha de aço, e produtos químicos como removedores, querosene, cloro e limpadores multiuso, que danificam qualquer material. Para a madeira, observe as recomendações dos fabricantes de tinta ou verniz quanto a periodicidade da aplicação. Antes da repintura, retire a camada anterior para evitar empolamento, que pode comprometer a movimentação das folhas no caixilho. No caso dos vernizes, lixe a camada antiga ate desaparecer todo o brilho.

Texto: Casa Abril


(Foto: Reprodução Internet)

As janelas estão em contato direto com o ambiente exterior, o que facilita o acúmulo de sujeira. Porém, as janelas de alumínio têm a particularidade de serem resistentes; sua manutenção é relativamente simples e evita que a sujidade se instale. Mas, como impedir que isso aconteça e qual o procedimento de limpeza adequado?

A limpeza das esquadrias, borrachas e escovas destas janelas deve ser feita a partir de esponjas ou panos e sabão neutro. A intensidade com que se deve limpar e a regularidade de limpeza varia muito do local onde se vive. Se a sua casa está localizada numa zona de indústrias, convém efetuar uma limpeza de 3 em 3 meses. Dependendo do tipo de janelas que possui, as janelas de correr devem ser limpas nos seus trilhos, para que se evite a acumulação de pó. Esta acumulação pode transformar-se numa sujeira tão resistente, que na hora de limpar pode já ser tarde de mais.

Tenha atenção ao tipo de produtos que usa na limpeza. O melhor é usar apenas sabão neutro. As esponjas devem ser macias e não rugosas ou de aço, pois o alumínio é um material sensível e se a sua limpeza não for adequada, pode ficar com danos irreparáveis. Cuidado também com a utilização de ácidos, pois estes vão manchar o alumínio. Mesmo que a sujidade seja difícil de retirar apenas com sabão, insista na limpeza demorada. Quando estiver removendo a sujeira de locais mais difíceis, não use objetos cortantes, aposte nos cotonetes, pincéis ou um objeto pontiagudo, com a ponta enrolada em algodão.

Para limpar janelas e portas de alumínio que estão do lado de fora da casa, siga o passo a passo:

  1. Retire toda a sujeira da superfície com uma mangueira;
  2. Misture 2 litros de água morna e 1/4 copo de sabão em pó ou líquido em um balde;
  3. Com uma esponja macia, esfregue bem a mistura na janela (não se esqueça dos cantos – se preferir, utilize uma escova de dente);
  4. Limpe de cima para baixo, para evitar que a sujeira escorra para a área limpa;
  5. Finalize com outro jato de mangueira para remover a sujeira e o sabão;
  6. Seque com um pano macio.

Atenção: nunca use produtos de contêm ácido muriático, soda caustica, cloro, éter, acetonas e produtos como palha de aço e esponjas ásperas.

 

Texto: Removedor de Manchas e Dr. Lava Tudo/Adaptação de texto: Agência Netshare.